aviao

flor

UMA PALAVRA PRA VOCE

NOTIFICAÇAO

A PALAVRA DE DEUS As Escrituras Sagradas vêm sendo usadas pelos cristãos de maneira aleatória, para atender o simples desejo de corações, que nem sempre são voltados para cima. As mais bizarras situações são observadas na multidão de igrejas, chamadas "evangélicas", que estão por toda parte. Se está escrito na Bíblia, tudo pode ser transformado em "Palavra de Deus". E, para tristeza de Cristo, uma multidão de pessoas dá ouvidos à falsa Palavra, isso por mera ignorância. Os abusos da idade média, quando papas, cardeais e bispos faziam o que bem entendiam das coisas de Deus, estão presente em nossos dias, no evangelismo popular. O mesmo espírito que antes era imposto nos corações à força, hoje é recebido em liberdade, por muitos que, das coisas invisíveis, pouco ou nada conhecem. É hora de cada crente examinar a própria vida, para saber se não está enganando, ou sendo enganado por alguém cujo coração não tem comunhão com Jesus Cristo, que morreu na cruz para que fossemos dispensados de todas as obras. É uma questão de salvação. O tempo é chegado e se você meu irmão e minha irmã, deixar-se guiar por um cego, o teu destino não será outro, senão o abismo. Quem disse isso, foi Jesus, o teu salvador. Portanto, vede se a luz que em ti há, não são trevas. Deus nos ajude. Amém.

nao temas

domingo, 29 de setembro de 2013

PAIXAO

Certamente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus e oprimido. Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniqüidades; o castigo que nos trouxe a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados” (Isaías 53.4-5). A Paixão de Cristo de Mel Gibson. A controvérsia sobre o filme de Mel Gibson, “A Paixão de Cristo” (lançado à época da dita “semana santa”, em março de 2004), subestimou um fato essencial. Enquanto alguns cristãos ingênuos louvavam sua suposta “autenticidade bíblica” e outros criticavam sua “violência brutal” e seu “anti-semitismo”, a fonte principal que inspirou Mel Gibson a produzir essa película quase não recebeu atenção. Vários ícones do cristianismo ignoraram ou desconheceram onde Mel Gibson foi pescar a maioria das informações para o seu filme e apoiaram cegamente essa película. No início de dezembro de 2003, antes do filme chegar aos cinemas, o papa João Paulo II (1920-2005) assistiu-o em uma seção particular no Vaticano e, ao término da exibição, sentenciou: “O filme é como era”.(1) O reverendo Billy Graham também teve sua exibição particular antes do filme chegar aos cinemas. Elogiou a película e isentou os judeus pela morte de Cristo: “Me senti como se estivesse lá. Me levou às lágrimas. Duvido se já houve uma apresentação mais tocante e gráfica da morte e ressurreição de Jesus, a qual os cristãos acreditam que seja o mais importante evento da história da humanidade [...] O filme é fiel aos ensinamentos bíblicos de que somos todos responsáveis pela morte de Jesus, porque todos pecamos. São os nossos pecados que causaram a Sua morte e não qualquer grupo em particular”.(2)

2 comentários:

  1. Estou alegre por encontrar blogs como o seu, ao ler algumas coisas,
    reparei que tem aqui um bom blog, feito com carinho,
    Posso dizer que gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns,
    decerto que virei aqui mais vezes.
    Sou António Batalha.
    Que lhe deseja muitas felicidade e saúde em toda a sua casa.
    PS.Se desejar visite O Peregrino E Servo, e se o desejar
    siga, mas só se gostar, eu vou retribuir seguindo também o seu.

    ResponderExcluir
  2. Estou a tentar visitar todos os seguidores do Peregrino E Servo, e verifiquei que eu estava a seguir sem foto, por motivo de uma acção do google, tive de voltar a seguir, com outra foto. Aproveito para deixar um fraterno abraço.
    António Jesus Batalha.

    ResponderExcluir

palavras de fe

2leep.com